Caso Davi Fiúza: Polícia Civil faz diligências a pedido do MP, mas não tem conclusão prevista

Quinta / 28 Dez 2017 / 01h01



Foto: Rute Fiúza/ Arquivo pessoal

Com análise finalizada pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), o inquérito parcial do caso jovem Davi Fiúza, que desapareceu aos 16 anos em outubro de 2014 durante uma operação policial, pode ser concluído “a qualquer momento” pela Polícia Civil. “Esse caso a gente já tem bastante coleta de informações, compilados já a dados solicitados pelo Ministério Público em nossas diligências – no entendimento do promotor isso seria necessário para complementar”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, Bernardino Brito. Com diversos adiamentos de prazo, o inquérito foi solicitado pela promotora Isabel Adelaide Moura, no estado em que se apresentasse, pelo MP, e foi entregue à instituição em julho deste ano (saiba mais) e devolvido à polícia em novembro. À época, o inquérito tinha 9 volumes. Segundo o delegado-geral, ainda não há previsão de quando a apuração será fechada, "porque a investigação não tem um tempo". “Garanto que a gente já deu seguimento e que o resultado eu não posso dizer aqui, mas estamos finalizando essas diligências. Não posso fazer previsão porque a gente está colhendo esse material, só quando finalizar... Algumas situações são sensíveis e a gente não pode passar”, completou Bernardino.