Colunista
Nonato Lobo

Políticos baianos têm inquéritos abertos após determinação de ministro do STF

Quarta / 12 Abr 2017 / 08h58



Os políticos baianos João Carlos Bacelar (PR), José Carlos Aleluia (DEM), Daniel Almeida (PCdoB), Mário Negromonte Jr (PP), Nelson Pellegrino (PT), Jutahy Júnior (PSDB), Arthur Maia (PPS), Cacá Leão (PP), Lúcio Vieira Lima (PMDB), Antônio Brito (PSD), Edvaldo Brito (PSD) e Lídice da Mata (PSB) tiveram abertura de inquérito aberto após determinação do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). O grupo faz parte do total de 108 alvos dos 83 inquéritos que a Procuradoria Geral da República (PGR) encaminhou ao STF, com base nas delações de 78 executivos e ex-executivos da Odebrecht, todos com foro privilegiado. O relator determinou, segundo o jornal Estado de S. Paulo, a abertura de inquérito contra nove ministros do governo do presidente Michel Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os presidentes das duas Casas, como mostram as 83 decisões do magistrado do STF. Outros 24 políticos, que apesar de não terem foro, foram arrolados porque fizeram parte da narrativa das delações. Figuram no topo da lista de abertura de inquérito o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, o presidente do PMDB, senador Romero Jucá, além de Renan Calheiros (PMDB), ex-presidente do Senador. Fachin também determinou que 201 pedidos de investigação que envolvem pessoas que não tem foro privilegiado fossem remetidos para instâncias inferiores.