Colunista
Nonato Lobo

Empresários do ramo agropecuário são os principais alvos na operação Oeste Legal

Quinta / 25 Ago 2016 / 10h30



Empresários do ramo agropecuários são os principais alvos da Operação Oeste Legal, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (25), no oeste da Bahia. A Polícia Federal informou que entre os investigados está Vicente Toyoko Okamoto, dono da Algodoeira Goeire e Assaimenka Indústria de Alimentos Ltda. Okamoto é acusado de grilar terras usando poderio econômico para fraudar e burlar o que fosse necessário. O empresário Nelson José Vigolo, da Bom Jesus Agropecuária, também é alvo. Ele é apontado como quem deu continuidade ao esquema de grilagem após Okamoto deixar o grupo. Ainda segundo a PF, o principal articulador do grupo é Getúlio Vargas da Fonseca, conhecido como Getulhão. Ele já foi preso no Piauí, durante a Operação Mercadores. A polícia acusa o filho de Getulhão, Getúlio Vargas da Fonseca Filho, de usar várias empresas, ocultar valores arrecadados em transações bancárias e financeiras oriundas das terras adquiridas com as fraudes. O secretário do Meio Ambiente de Formosa do Rio Preto, Mario Eduardo Mignot, também é acusado de envolvimento no esquema, por utilizar o cargo para facilitar as atividades do grupo, despachando decisões administrativas. Outro membro da quadrilha é Luis Rosa Filho, conhecido como Lulinha, especialista em falsificar escrituras públicas de terras para o grupo criminoso.